Guinga

Suíte Leopoldina (1999)

saiba mais...

 

1. Dos anjos
(Guinga)

Toots Thielemans: gaita
Gilson Peranzzetta: piano e arranjo
Cordas*


2. Parsifal
(Guinga-Nei Lopes)

Morreu lá em Paciência, hoje deu no jornal
de velha insuficiência da supra-renal
Na mais completa indigência, o major Parsifal

Homem de grande sapiência e alto valor moral
Clerical, radical, racional, marcial
Desempenhou alta incumbência na revolução
Foi durão, lei do cão, repressão, pescoção
Depois foi ser da presidência de uma estatal
federal, capital, nacional, integral

Nessa estatal é que a Filó, passista da Mangueira
Botava fogo no paiol, reinando de copeira

E, foi assim, que o Parsifal, em plena ditadura
de forma lenta e gradual, entrou pela abertura

Pois acontece que a Filó não era mole não
Avião, combustão, explosão, um vulcão
Jóias, viagens, mordomias, compras no cartão
Um milhão, um bilhão
E a paixão não diz não

Homem de grande sapiência e alto valor moral
O major Parsifal se deu mal:
Hospital, funeral...
Deu hoje no jornal.

Mas o pior é que a Filó me ligou de Miami
Ficou sabendo que o "Fal" tinha tido um derrame
E ao ouvir a fatal conclusão
Inda indagou de pecúlio e pensão
E deu um puta faniquito quando eu lhe contei
Que o Seu Major tinha morrido lá em Paciência
Daquela velha e mal-curada insuficiência
Ele que foi ferrabrás costumaz
Que comandou umas dez estatais
Morreu com u'a mão na frente e outra mão lá atrás


Chico Buarque: voz
Nei Lopes: voz
Lula Galvão: violão
Guinga: violão
Jorge Helder: baixo
Ovídio Brito: pandeiro, cuíca
Armando Marçal: ganzá, tamborim, pratos, afoxê, sementes, clave
Zé Nogueira: sax soprano
Andréa Ernest Dias: flauta em dó
Paulo Sergio Santos: clarinete


3. Di Menor
(Guinga - Celso Viáfora)

Paulo Sérgio Santos: clarone, clarinete
Lula Galvão: violão e arranjo
Guinga: violão
Armando Marçal: surdo, caixa, ganzá, pratos, tamborins


4. Sargento Escobar
(Guinga)

Guinga: violão


5. Chá de panela
(Guinga - Aldir Blanc)

Hermeto foi na cozinha pra buscar o instrumental
Do facão à colherinha tudo é coisa musical
Trouxe concha e escumadeira, ralador, colher de pau
Barril, terrina e peneira, tudo é coisa musical

Me convidou p'ra uma pinga
Meu não pesou com dó, piscou um olho só
Disse que eu tiro da seringa
Que homem que não bebe e nega mocotó
acaba quenga em vez de Guinga
Se veste de filó, afrouxa o fiofó
E o ferrão já nem respinga
encolhe feito um nó, e vai ficar menor

Assoprou numa chaleira, bateu numa bacia
Jesus, Ave Maria, era uma sinfonia
Secador e geladeira entraram no compasso
Dançou a farinheira, saleiro no pedaço

E tudo era coisa musical
funil mandando "oi!", fogão gritando "au!"

Fez um chocalho de arroz
E outro de feijão
No talo do mamão soprou a flauta que eu já vi
tocar mais doce, irmão, direto ao coração

Assoprou numa chaleira, bateu numa bacia
Jesus, Ave Maria, era uma sinfonia
Secador e geladeira entraram no compasso
Dançou a farinheira, saleiro no pedaço

E tudo era coisa musical
funil mandando "oi!", fogão gritando "au!"

Nesse chá de panela é que eu senti a vocação
De que música é tudo que avoa e rasga o chão
Foi Hermeto Paschoal que, magistral,
me deu o dom
de entender que do lixo ao avião
em tudo há tom
e que até penico dá bom som
Se a criação é mais, se o músico for bom
e que até penico dá bom som

Alceu Valença: voz
Lula Galvão: violão e arranjo de base
Jorge Helder: baixo acústico
Eliezer Rodrigues: tuba, bombardino
Nelson Oliveira: trompetes
Elione: fagote
Carlos Malta: arranjo de sopros, flauta em dó, flauta baixo, flautim, panelas, vozerio
Armando Marçal: caixa, blocks, placa, panelas, vozerio
Marcos Suzano: tabla, pandeiro, panelas, vozerio
Pernambucano: reco-reco, triângulo, vozerio


6. Choro perdido
(Guinga - Aldir Blanc - Mariana Blanc)

Zé Nogueira: sax soprano
Leandro Braga: piano e arranjo
Jorge Helder: baixo acústico
(*) Cordas


7. Noturno Leopoldina
(Guinga)

Lula Galvão: violão e arranjo
Guinga: violão
Jorge Helder: baixo
Armando Marçal: caixa, pratos, surdo


8. Guia de cego
(Guinga - Mauro Aguiar)

Olha a viola
Mãe de vista vazia
Quando joga ela embola
Cola a mão da agonia
Se distrai tateando a melodia

Abre a viola
Não repara onde espia
Se ela encara, apavora
Se ela chora, alumia
Como o demo rezando a Ave Maria

Pode até sangrar
Pode ensandecer
Recusar o céu de esmola
Pode tropeçar
Quando escurecer
Nas entranhas da viola.

Tange a viola
Com espora e euforia
Encarcera a senhora
Que ela implora alforria
Vara a noite chamando a luz do dia

Solta a viola
Pé na lua sem guia
Que o luar desarvora
Só loucura irradia
Como o sol ponteando a ventania

Pode alucinar
Pode incandescer
Desandar tua memória
Pode imaginar
O que não se vê
Nas entranhas da viola

Segue a viola
Teu olhar silencia
Mas enxerga onde mora
Tanta melancolia
Como um cego sonhando a estrela guia


Ivan Lins: voz
Guinga: violão e voz
Rodrigo Lessa: violão de aço e arranjo
Edson Menezes: baixo
Eduardo Neves: flauta
Paulo Sérgio Santos: clarinete
Marcos Suzano: pandeiro, berimbau, bandeja com vassourinha, cajón, pratos, mola, cincerro, reco-reco
Leandro Braga: regência de cordas
Cordas (*)


9. Perfume de Radamés
(Guinga)
Dedicado a Radamés Gnatalli, Zé Menezes, Chiquinho, Luciano Perrone e Vidal

Gilson Peranzzetta: piano, acordeon, arranjo
Jorge Helder: baixo
João Cortez: bateria
Lula Galvão: guitarra


10. Par constante
(Guinga)

Ed Motta: voz
Guinga: violão
Lula Galvão: guitarra e arranjo
Jorge Helder: baixo acústico
João Cortez: bateria


11. Cortando um dobrado
(Guinga)

Lula Galvão: cavaquinho, violão e arranjo
Guinga: violão
Jorge Helder: baixo
Marcos Suzano: xequerê, caxixis, triângulo, cajón
Gilson Peranzzetta: acordeon


12. Mingus samba
(Guinga - Aldir Blanc)

Balangandã da baiana...
Maracanã do Carvana...
deixa a Chiquita bacana voltar!
Mane Garrincha sacana...
tá bem, nós somos bananas
mas não é preciso se embananar.

Mingus veio ao mangue:
ô my god
ai, que bode
que vai dar...
Mingus com seu som
vai botar o mingau
a knockdown.
Mingus, senta o pau
que o pitecantropus
tem que mamá
Mamba, Mingus,
mani-pi-cao!
Mingus me sacudiu:
tchan, tchau!

Ô, ô, morena faceira,
ai, ai, cubana mañera,
hoje é do Mingus o meu carnaval.
Ai, caboclinha, me aqueça
transforma a quinta e a terça
em feriados, do-Mingus de sol!

Ai, que mistura que dá...
ôi, zum-zum-zum resedá...
Vou com o Mingus e um primo do Nei
no domingo pra Piabetá.
Ai, ai, Iaiá de Ioiô,
Mingus te manda um hello
Já tomamo umazinha
e há o bafo da onça na onda que eu vou...

Mamba, Mingus,
mani-pi-cao"
Mingus samba e pinga
jazz de coringa na geral!


Lenine: voz
Rodrigo Lessa: arranjo
Edson Menezes: baixo elétrico
Lula Galvão: violão
Guinga: violão
Armando Marçal: surdos, repique, tamborins, caixa
Ovídio Brito: pandeiro, cuíca, caixa, tamborins
Eduaro Neves: sax alto, sax tenor
Roberto Marques: trombone
Nilton Rodrigues: trumpete


13. Dissimulado
(Guinga)

Guinga: violão


14. Constance
(Guinga)

Toots Thielemans: gaita
Gilson Peranzetta: piano e arranjo
Jorge Helder: baixo
Cordas (*)